Guarda Municipal amplia bloqueios e orla da Pampulha registra movimento pequeno

Segundo o subinspetor Douglas Oliveira, movimentação de pessoas no local tem diminuído em relação aos primeiros dias da quarentena.

A manhã deste Domingo (3) não foi de grande movimento na orla da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. Isso porque, além do cerco à lagoa nos finais de semana e feriados, a Guarda Municipal também está fechando o trânsito no entorno, impedido o estacionamento de veículos nas ruas laterais e fazendo a abordagem das pessoas que tentam acessar a região.

A reportagem acompanhou agentes da guarda em alguns dos pontos de acesso ao trecho interditado e também na abordagem de algumas pessoas que acessaram a área fechada para caminhar, correr ou andar de bicicleta. Nessa abordagem, as pessoas são orientadas a deixar o local.

Segundo o subinspetor Douglas Oliveira, são pelo menos dez acessos fechados pela instituição, mas há outros pontos que foram interditados pela BHTrans. A medida é adotada nos finais de semana e feriados justamente por serem dias em que o local é mais frequentado. 

Ainda conforme Oliveira, a movimentação tem diminuído em relação aos primeiros dias da quarentena e fechamento da orla da Pampulha. “A gente já viu uma redução muito grande do cidadão nesses espaços públicos que estão interditados. As pessoas têm se conscientizado sobre a pandemia, mas uns e outros vêm e estão sendo orientados a se deslocar para os locais onde a circulação não é restrita”, disse.

O técnico em informática Vanderlei Sabino, 49, estava aguardando a sobrinha para pedalar no entorno da Pampulha. Mas, ao chegar, se deparou com a interdição. “Já tinha quase 20 dias que eu não vinha e hoje resolvi dar uma pedalada, mas está fechado. Eu até perguntei ao guarda municipal ali o motivo de estar interditado e ele me disse que é pra evitar aglomerações”. Após a orientação, ele mudou o trajeto planejado. “A gente, então, vai até o outro lado que está obstruído e vamos voltar”.

Apesar da obrigatoriedade do uso de máscaras na capital mineira, Sabino estava pedalando sem a utilização de nenhuma proteção no rosto. “Não estou usando porque como é individual, eu não estou usando máscara, não”, relatou. Além dele, outras pessoas caminhavam e corriam sem a utilização do acessório que é comprovadamente eficaz na redução do risco de contaminação pelo novo coronavírus.

De acordo com o subinspetor da Guarda Municipal Douglas Oliveira, o trecho interditado no entorno da orla é entre a barragem da Pampulha até as proximidades da Toca da Raposa I.

Via: otempo