Vereadores preparam pedido de instauração de CPI sobre contratos de limpeza da Lagoa da Pampulha

A Câmara Municipal de Belo Horizonte se opõe a um pedido do prefeito Alexandre Caril (PSD) que prepara a criação de duas novas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) na Câmara dos Deputados. Um painel será proposto para apurar supostas violações da secretaria de política urbana da cidade e outro para investigar o contrato de limpeza da Lagoa da Pampulha.

Nos últimos dias, vereadores intensificaram os trabalhos para formatar a documentação dos pedidos e as suspeitas. Na CPI que mira a Secretaria de Política Urbana, a suspeita de parlamentares é que a pasta, comandada pela urbanista Maria Caldas, estaria “atrapalhando propositalmente, com arbitrariedades, empresários e o desenvolvimento imobiliário” da cidade. 

Já na CPI sobre os contratos na Pampulha, a ideia dos parlamentares é investigar porque os contratos de limpeza da lagoa não foram pra frente, além do risco de perder o título de patrimônio cultural da humanidade por conta do atraso na execução. 

Faltando pouco mais de um mês para a saída de Kalil da prefeitura por conta da candidatura ao governo de Minas, as duas comissões de investigação se tornariam uma herança turbulenta para o início dos trabalhos do atual vice-prefeito Fuad Noman (PSD). 

A propósito, no final do ano passado, a Câmara, depois de finalizar os trabalhos da CPI da Covid e da CPI da BHTrans, chegou a instaurar uma outra comissão para investigar possíveis irregularidades em nomeações e atuações na prefeitura e, mais especificamente, na Secretaria de Governo. Na época, o então secretário Adalclever Lopes conseguiu, na Justiça, paralisar a instauração do colegiado. A tendência atual é que essa CPI, ainda barrada judicialmente, seja deixada de lado. Apesar disso, Adalclever deixou o comando da pasta em meio à polêmica. 

Via: www.itatiaia.com.br/blog/lucas-ragazzi/um-colegiado-sera-proposto-para-investigar-su