Ocupação de UTIs volta a crescer em BH

A taxa de ocupação de leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Belo Horizonte voltou a subir depois de cair por vários dias, aproximando-se do limiar entre o nível de medo amarelo e o nível crítico de vermelho (29) na terça-feira. 69%, um ponto percentual abaixo do limite, ante 68,4% no relatório epidemiológico anterior.

Nas enfermarias, também houve avanço nas taxas, que chegaram a 52,8%, ante 50,4%. A transmissibilidade do coronavírus, por outro lado, manteve a tendência de queda, e registrou RT 0,89 nesta terça, partindo de RT 0,91 na segunda. 

Em suma, este indicador mede a progressão da pandemia. RT 0,89 significa que, a cada 100 pessoas infectadas, outras 89 são contaminadas – o que aponta regressão da epidemia.

A incidência de novos casos por 100 mil habitantes atingiu o menor patamar deste mês, em 359,2. Todavia, o piso de segurança, que determina fim da pandemia, é de 20. 

A prefeitura da capital informou que 52,9% do público-alvo da campanha de vacinação contra Covid-19 foi contemplado com uma dose do imunizante, e 20,8% com duas. 

Do arsenal de inoculantes, a prefeitura agora possui 23.050 da Janssen, que requer apenas uma aplicação para imunizar o paciente, das quais 17.800 foram distribuídas aos pontos de vacinação. 

Nenhuma foi aplicada por ora, contudo. A prefeitura deve usar essas doses para imunizar a população em situação de rua e pessoas vulneráveis. 

São 236.599 casos confirmados na cidade e 5.735 vidas foram perdidas para a pandemia desde março de 2020. Nas últimas 24 horas, 730 diagnósticos e 21 óbitos foram registrados.

Via: O Tempo